Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Análise de PVC: Desempenho do Brasil de Pia Sundhage na Copa do Mundo

Análise de PVC: Desempenho do Brasil de Pia Sundhage na Copa do Mundo

Análise de PVC sobre a formação tática da seleção brasileira de Pia Sundhage na Copa do Mundo

Durante sua participação no programa Joga Junto, do UOL Esporte, o colunista Paulo Vinicius Coelho (PVC) discutiu a forma como a técnica Pia Sundhage montou a equipe brasileira no amistoso contra o Chile, que foi o último teste antes da Copa do Mundo Feminina.

PVC descreveu a formação inicial utilizada por Pia Sundhage como: “Lelê; Antonia, Ketlin, Rafaelle e Tamires. Geyse, Anavitória, Luana e Duda. Gabi Nunes e Nicole”. Ele destacou que essa formação não é um 4-4-2 clássico, mas sim uma demonstração da capacidade de variação tática da treinadora. No ataque, Pia Sundhage buscava movimentações e amplitude com jogadoras como Geyse na direita, Duda atuando em diagonal e Tamires oferecendo amplitude pelo lado esquerdo. PVC mencionou que essa estratégia pode resultar em uma formação de 2-3-5 ou 3-2-5 quando o time está com a posse de bola, enquanto a base defensiva é o 4-4-2.

Essa análise de PVC evidencia a flexibilidade tática adotada por Pia Sundhage e suas escolhas estratégicas na formação da equipe brasileira na Copa do Mundo Feminina.

Fonte: UOL

PVC destaca a importância da liberdade de atuação de Marta na seleção brasileira

Durante sua participação no programa Joga Junto, do UOL Esporte, o colunista Paulo Vinicius Coelho (PVC) ressaltou a importância de dar total liberdade a Marta em campo. PVC destacou que Marta não irá atuar pela lateral esquerda devido à sua capacidade física limitada para cobrir toda a extensão do campo. Sendo assim, é essencial que ela jogue de forma livre, sem restrições, na parte ofensiva do jogo. PVC também mencionou que, embora Marta possa não iniciar todos os jogos, sua presença é de extrema importância para o grupo.

Essa análise enfatiza a necessidade de permitir que Marta atue com absoluta liberdade em campo, reconhecendo sua importância como uma jogadora chave na seleção brasileira.

Fonte: UOL


Isabelly Moraes, jornalista, expressa otimismo em relação à Copa do Mundo Feminina

Isabelly Moraes, jornalista de formação, compartilhou sua esperança em relação à Copa do Mundo Feminina, enfatizando que a competição está em aberto. Ela ressaltou que o Brasil chega bem, apesar da perda da goleira titular Lorena. No entanto, Moraes destacou que a técnica Pia Sundhage possui uma equipe promissora para trabalhar, com base no que foi apresentado durante o ciclo de preparação.

Como narradora da transmissão da Copa do Mundo Feminina, Isabelly Moraes falou sobre sua jornada profissional até chegar ao Grupo Globo, onde terá a oportunidade de narrar os jogos. Ela mencionou que, ao longo de sua carreira, atuou como repórter, comentarista, produtora, editora e fotógrafa, mas foi a narração que trouxe as maiores mudanças e oportunidades. Moraes expressou sua felicidade por ter chegado ao Grupo Globo como narradora, o que lhe permite narrar diversos eventos, incluindo a Copa do Mundo Feminina.

Esse relato demonstra a esperança de Isabelly Moraes em relação à competição e sua satisfação por ter a oportunidade de narrar a Copa do Mundo Feminina, marcando um novo capítulo em sua carreira profissional.