Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Conferência Estadual debate políticas públicas para crianças e adolescentes na Paraíba

Conferência Estadual debate políticas públicas para crianças e adolescentes na Paraíba

Conferência Estadual reúne 700 participantes para discutir políticas públicas para crianças e adolescentes na Paraíba

A XI Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente na Paraíba foi realizada no Centro de Convenções, em João Pessoa, com a participação de cerca de 700 pessoas de diferentes regiões do estado. O evento, promovido pelo Governo Estadual em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) e o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca-PB), teve como objetivo principal debater e deliberar sobre a política de proteção integral e garantia de direitos para crianças e adolescentes.

A abertura da conferência foi marcada pela frase “Nada para nós, sem nós!”, proferida pelos adolescentes Manuella Katiacy e Gustavo Campelo, membros do Conselho Participativo de Adolescentes da Paraíba (CPA). Durante o evento, que teve como tema “Situação dos direitos humanos de crianças e adolescentes em tempo de pandemia da Covid-19: violações e vulnerabilidades, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção integral com respeito à diversidade”, foram elaboradas 25 propostas e eleitos 37 delegados para representar a Paraíba na etapa nacional da Conferência, que ocorrerá em Brasília, em novembro deste ano.

Fonte: gov

Conferência Estadual busca garantir a participação de crianças e adolescentes na discussão dos impactos da pandemia

A Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente na Paraíba tem como um de seus principais objetivos assegurar a participação ativa de crianças e adolescentes no processo de discussão sobre os reflexos da pandemia da Covid-19. Durante a mesa de abertura, os adolescentes Manuella Katiacy e Gustavo Campelo, representantes do Conselho Participativo de Adolescentes da Paraíba (CPA), destacaram a importância de dar voz aos jovens: “Nada para nós, sem nós! Em cada ambiente em que a criança e o adolescente estão presentes, eles devem ter representação, pois são sujeitos de direitos. Somente nós sabemos o quanto cada um de nós sofreu durante a pandemia. Por isso, é muito importante estarmos aqui neste espaço, que é nosso e é nosso direito”, enfatizou Gustavo.

Outros objetivos da conferência incluem identificar os desafios a serem enfrentados durante e após a pandemia da Covid-19, refletir sobre as dificuldades enfrentadas pela rede de promoção, proteção e defesa dos direitos para lidar com as violações no contexto pandêmico, formular propostas para enfrentar as consequências das violências contra crianças e adolescentes agravadas pela pandemia, e refletir sobre a necessidade de ampliação do orçamento destinado às ações, programas e políticas de promoção, proteção, defesa e controle social dos direitos das crianças e adolescentes.

A diretora do Sistema Único de Assistência Social da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), Francisca Vieira, ressaltou a importância do evento na busca por aprimorar as políticas públicas para crianças e adolescentes na Paraíba. Ela expressou a certeza de que o encontro resultará em propostas significativas para melhorar a situação das crianças e dos adolescentes no estado e destacou o compromisso do governo paraibano com essa política. Vieira mencionou programas como o Família Acolhedora e o Programa Paraíba que Acolhe como exemplos desse compromisso.

Fonte: PR

Conferência Estadual discute políticas públicas para crianças e adolescentes na Paraíba

A Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente na Paraíba teve início com a participação de representantes de diversos municípios do estado, englobando integrantes do Sistema de Garantia de Direitos, crianças, adolescentes e membros da sociedade em geral. O evento, promovido pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) e pelo Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca-PB), tem como objetivo debater e deliberar sobre as políticas voltadas para essa parcela da população.

Durante a abertura, os adolescentes do Conselho Participativo de Adolescentes da Paraíba (CPA), Manuella Katiacy e Gustavo Campelo, destacaram a importância da participação ativa dos jovens nas discussões: “Nada para nós, sem nós! Em cada ambiente em que a criança e o adolescente estão presentes, eles devem ter representação, pois são sujeitos de direitos. Somente nós sabemos o quanto cada um de nós sofreu durante a pandemia. Por isso, é muito importante estarmos aqui neste espaço, que é nosso e é nosso direito”, enfatizou Gustavo.

A conferência aborda a temática “Situação dos direitos humanos de crianças e adolescentes em tempo de pandemia da Covid-19: violações e vulnerabilidades, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção integral com respeito à diversidade”. Durante o evento, serão elaboradas propostas e eleitos delegados para a etapa nacional da Conferência, que ocorrerá em Brasília em novembro deste ano.

O presidente do Cedca-PB, Dimas Gomes, ressaltou a representatividade do evento e a responsabilidade de continuar as discussões realizadas nos municípios. Ele destacou a luta para garantir a realização das conferências e expressou o desejo de que, no futuro, as crianças e os adolescentes tenham um auditório próprio para seus debates.

O presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Claudio Augusto Vieira, proferiu a palestra magna do evento. Ele enfatizou que a pandemia ainda não passou para todos e que discursos que minimizam seus efeitos prejudicam a vida das crianças e adolescentes, destacando a importância de fortalecer as políticas voltadas para essa parcela da população.

A abertura da conferência também contou com a apresentação do grupo Kairós, formado por 60 educandos da Escola Municipal Padre Pedro Serrão, localizada no bairro do Cristo, em João Pessoa. O grupo utiliza o teatro como ferramenta para transformar vidas e refletir sobre o papel de cada indivíduo na sociedade.