Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Governadores bolsonaristas manifestam apoio à reforma tributária após inelegibilidade de Bolsonaro

Governadores bolsonaristas manifestam apoio à reforma tributária após inelegibilidade de Bolsonaro

Após a declaração de inelegibilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cinco governadores que foram eleitos com o apoio do bolsonarismo estão agora demonstrando apoio à reforma tributária, o que contrasta com suas posições anteriores contrárias à matéria.

Segundo informações do jornal O Globo, a votação revelou uma divisão entre Bolsonaro e os líderes do PL, devido à percepção de enfraquecimento do ex-presidente devido à sua inelegibilidade. A sigla ainda está indecisa sobre a imposição de penalidades aos parlamentares que votarem a favor da reforma. Diante das resistências, Bolsonaro adotou um tom mais moderado e pediu “atenção” à sua bancada.

Enquanto Tarcísio de Freitas, do partido Republicanos de São Paulo, lidera as negociações para alterações no texto da Reforma Tributária, Cláudio Castro, do PL do Rio de Janeiro, já declarou que solicitará votos favoráveis à bancada fluminense. Castro comunicou essa decisão ao seu partido.

Ratinho Jr., do partido PSD do Paraná, também reconheceu a necessidade de uma reforma tributária e destacou que os governadores estão cientes dessa necessidade. Por sua vez, Romeu Zema, do partido NOVO de Minas Gerais, que é apontado como possível sucessor de Bolsonaro, expressou dúvidas sobre a participação dos estados na formação do Conselho Federativo, mas reafirmou a importância da reforma.

Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal e que formalizou apoio a Bolsonaro nas últimas eleições, atualmente está posicionado de forma favorável à Reforma. Ele é filiado ao MDB.

Fonte: Carta Capital

Alguns governadores têm sido vistos como resistentes às orientações de Bolsonaro, sendo observado o seu silêncio em relação à Reforma Tributária. O governador de Santa Catarina, Jorginho Mello, do PL, não se manifestou publicamente contra a reforma, apesar das pressões de parlamentares alinhados ao bolsonarismo.

No partido PL, ao qual Bolsonaro é filiado, foi estabelecida uma orientação para que os parlamentares votem contra a reforma tributária. No entanto, a sigla ainda não chegou a um consenso sobre possíveis penalidades para aqueles que votarem a favor da reforma, mesmo com alguns governadores do partido se posicionando nesse sentido.

O líder do PL na Câmara, Altineu Côrtes, informou que o presidente do partido, Valdemar Costa Neto, aguarda uma posição clara do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, do Republicanos, para definir a posição do partido. Enquanto isso, o presidente Bolsonaro tem instado os deputados próximos a se oporem à reforma.