Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Operação da PF investiga financiadores da tentativa de atentado a bomba no aeroporto de Brasília

Operação da PF investiga financiadores da tentativa de atentado a bomba no aeroporto de Brasília

A Polícia Federal (PF) realizou nesta quinta-feira, 6, a operação Embarque Negado em Brasília, Distrito Federal, com o objetivo de investigar possíveis financiadores dos atos de invasão ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, bem como sua conexão com os envolvidos na tentativa de atentado à bomba nas proximidades do aeroporto em dezembro do ano passado.

Fonte: Portal Gov

A investigação concentra-se nos eventos ocorridos nos dias 2 e 8 de dezembro de 2022, quando diversas pessoas invadiram áreas restritas e adjacentes ao terminal, causando perturbações à segurança aérea e aos serviços aeroportuários. A ação incluiu o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão em três unidades da federação: Marabá (PA), Água Boa (MT) e Distrito Federal. A Polícia Federal informou que os envolvidos estão sendo investigados pelos crimes de atentado contra a segurança de transporte marítimo, fluvial ou aéreo, atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública e associação criminosa.

Fonte: EBC

As invasões ao aeroporto de Brasília também estão sendo investigadas pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro. O diretor do Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado da Polícia Civil do DF, Leonardo de Castro, afirmou que pelo menos dois acusados presos admitiram ter participado da tentativa de invasão à sede da Polícia Federal em 12 de dezembro, bem como da explosão de um caminhão de combustível próximo ao aeroporto em 24 de dezembro, ambos em Brasília.

Na época, a Polícia Militar do Distrito Federal informou que uma bomba foi encontrada na Estrada Parque Aeroporto, próxima ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek. O artefato foi localizado na margem da pista de rolamento, no gramado de um canteiro central. As equipes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e das Polícias Civil e Federal atuaram em conjunto para desativar o explosivo.