Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Polícia Federal investiga quadrilha suspeita de envolvimento em pelo menos 12 homicídios

Polícia Federal investiga quadrilha suspeita de envolvimento em pelo menos 12 homicídios

Polícia Federal deflagra Operação Seletor contra organização criminosa envolvida em tráfico de drogas e armas, lavagem de dinheiro e suspeita de homicídios

Nesta quinta-feira (6), a Polícia Federal realizou a Operação Seletor, visando desmantelar uma organização criminosa que atua no tráfico de drogas e armas, bem como na lavagem de dinheiro. A quadrilha é suspeita de ter assassinado pelo menos 12 rivais. O grupo, originário do Paraná, estava expandindo suas atividades para Mato Grosso do Sul e outros três estados.

Segundo informações da PF, foram cumpridos 14 mandados de prisão, sendo 2 em Mato Grosso do Sul, nas cidades de Dourados e Campo Grande, além de 28 mandados de busca e apreensão nos estados de Mato Grosso, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná. Um efetivo de 150 policiais federais participou da operação.

Fonte: campograndenews

Durante a ação, um dos alvos, identificado como Alex Guilherme Pereira dos Santos, de 26 anos, foi morto em confronto com os agentes de segurança. O indivíduo reagiu quando os policiais se aproximaram de sua residência no Bairro XIV de Novembro, em Cascavel. Alex Guilherme possuía várias passagens pela polícia e veio a óbito no local. A investigação segue em andamento.

Fonte: campograndenews

A Polícia Federal informou que as investigações, que duraram cerca de sete meses, revelaram que a quadrilha era responsável por uma série de crimes graves. Pelo menos 12 pessoas foram assassinadas pelos membros do grupo. O objetivo da organização era expandir suas atividades para os estados onde os mandados foram cumpridos hoje. O grupo criminoso estava envolvido no contrabando de maconha e armas de fogo do Paraguai, além de cocaína proveniente do Peru. De acordo com a nota divulgada pela corporação, eles eliminavam qualquer pessoa que representasse uma ameaça aos seus interesses.

A Justiça determinou a apreensão e o sequestro de diversos bens móveis e imóveis pertencentes aos integrantes do grupo, além do bloqueio de todas as suas contas bancárias, limitado a R$ 20 milhões. Durante a operação desta manhã, foram apreendidos 500 kg de maconha, 10 armas de fogo, 11 veículos, R$ 56 mil em espécie, R$ 200 mil em cheques e 350 gramas de cocaína em um ponto de venda de drogas. Além disso, nove imóveis foram sequestrados, incluindo uma fazenda, 77 contas bancárias foram bloqueadas, 15 pessoas foram presas e 28 mandados de busca foram cumpridos. A investigação continua em andamento.