Pular para o conteúdo
Início » Notícias » “Ronaldo exclui Messi e escolhe o jogador mais decisivo do futebol mundial”

“Ronaldo exclui Messi e escolhe o jogador mais decisivo do futebol mundial”

Durante uma entrevista no podcast “Mano a Mano”, Ronaldo abordou as atuais deficiências do futebol nacional. Embora tenha apontado Vinícius Júnior como o jogador mais decisivo do mundo, o ex-jogador ressaltou que o atacante saiu do Flamengo sem a formação adequada para jogar no Real Madrid. Como resultado, no início de sua carreira, ele precisou atuar na equipe B antes de se destacar como uma estrela do clube merengue.

Ronaldo destacou o trabalho de desenvolvimento feito com Vinícius Júnior na Espanha. Apesar das piadas e brincadeiras sobre sua falta de consistência jogando fora do Brasil, o jogador provou seus críticos errados, mas precisou de acompanhamento diário para aprimorar seu potencial.

Fonte: torcedores

“Vinícius foi vendido para o Real Madrid aos 18 anos e passou o primeiro ano jogando na equipe B. Ele não era aquele atleta refinado no início. Muitas pessoas diziam que ele seria emprestado e voltaria para o Brasil. Mas ele chegou lá e melhorou significativamente com o programa de treinamento, a metodologia profissional e a ajuda de grandes profissionais… Ele evoluiu tremendamente em dois anos. Hoje, Vinícius Júnior é o jogador mais decisivo e influente do futebol mundial, mesmo que ele tivesse dificuldades em controlar a bola com a perna esquerda e tenha jogado no Flamengo”, afirmou Ronaldo.

Fonte: iG Esporte


Em seguida, Ronaldo destacou que, mesmo tendo realizado sua formação na base do Flamengo, Vinícius Júnior apresentava deficiências significativas no seu desenvolvimento. No entanto, o Fenômeno acredita que o futebol brasileiro está progredindo com investimentos extracampo em metodologias inovadoras e profissionais capacitados.

“Ele não foi preparado adequadamente na base, sua perna esquerda não foi aprimorada, seus fundamentos técnicos não foram aprimorados, sua compreensão de tempo e espaço em campo não foi trabalhada. Ele só conseguiu evoluir depois de ir para o exterior. Ainda temos muito a melhorar no futebol brasileiro, principalmente em relação à base, treinadores e metodologias de trabalho. Já temos cinco anos dessa história. Acredito que, completando dez anos, teremos uma transformação significativa no cenário atual e os clubes que não adotarem profissionais preparados ficarão para trás”, relatou o Fenômeno.

Marcações: