Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Tarcísio é interrompido por Bolsonaro e vaiado durante reunião do PL

Tarcísio é interrompido por Bolsonaro e vaiado durante reunião do PL

Governador Tarcísio de Freitas é interrompido por Bolsonaro e vaiado em reunião do PL

Durante uma reunião do PL para discutir a reforma tributária, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, defensor da medida, foi interrompido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro e acabou sendo vaiado. Alguns deputados bolsonaristas afirmaram que o ex-ministro está “queimado”.

Fonte: UOL

Um vídeo compartilhado em páginas bolsonaristas mostra Tarcísio defendendo a reforma tributária, com Bolsonaro e outras lideranças do PL presentes, incluindo o líder da oposição no Senado, Rogério Marinho (RN). O incidente revela divergências internas e tensões políticas em relação à posição de Tarcísio e sua defesa da reforma tributária durante a reunião do PL.

Governador de São Paulo destaca a importância da direita discutir a reforma tributária durante reunião do PL

Durante a reunião do PL, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, enfatizou a necessidade de a direita se envolver na discussão da reforma tributária. Ele ressaltou que a direita não pode perder a narrativa de ser favorável à reforma, caso contrário, a proposta pode ser aprovada sem a sua participação.

No entanto, o governador foi interrompido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, que declarou: “Se o PL estiver unido, não aprova nada”. É importante notar que Bolsonaro já havia se reunido com Tarcísio anteriormente e deixado claro que é contra a reforma.

Diante da interrupção, Tarcísio ressaltou que não estava defendendo a votação imediata da proposta, mas sim incentivando a discussão do texto. No entanto, sua explicação foi interrompida por outros participantes da reunião, demonstrando a existência de divergências e tensões em torno do assunto.

Fonte: UOL

Tarcísio é novamente vaiado e criticado por parlamentares do PL durante reunião

A fala de Tarcísio foi novamente interrompida por vaias durante a reunião, levando-o a responder: “Tudo bem, pessoal. Se vocês acham que a reforma tributária não é importante, não votem.” A vaia partiu de metade da bancada do PL, composta por 99 deputados federais, especialmente dos que são alinhados ao ex-presidente.

Após a reunião, os parlamentares mais exaltados afirmaram que Tarcísio está “queimado” por tentar liderar as discussões da reforma tributária em nome da direita, enquanto, na visão deles, ele representa apenas o estado de São Paulo. Eles criticaram o fato de que, ao tentar expressar um discurso como representante da direita do Brasil, Tarcísio exagera, e é por isso que eles discordam de suas posições.

Essas divergências expõem as tensões e as discordâncias internas no partido em relação à liderança de Tarcísio nas discussões sobre a reforma tributária, com alguns membros alegando que ele não representa adequadamente a direita nacional.